Kyoto, Japão: onde ficar e o que fazer

Localizada em um vale no centro-sul do país, Kyoto é a antiga capital imperial do Japão, com centenas de templos, santuários e jardins para visitação. É um local de imensos contastes entre o antigo e o novo e por isso, uma cidade maravilhosa que merece 3 a 4 dias de passeio.

Kyoto é a cidade das gueixas, dos samurais e dos templos e lá encontramos um pouco de todas as partes do país, sendo a cidade com mais monumentos preservados. São pelo menos 2.000 templos, sendo 17 deles declarados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Pelas ruas, mulheres vestidas com os tradicionais quimonos contrastam com jovens de calça jeans e tênis.

Se fosse para escolher apenas uma cidade no Japão, certamente eu escolheria Kyoto!

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

Dicas de Kyoto

Onde ficar em Kyoto

Antes de começar o roteiro por Kyoto vou dar uma dica de hospedagem. O hotel Super Hotel Kyoto Karasuma Gojo, é um hotel 3 estrelas bem localizado, próximo à estação de Kyoto, muito confortável, com bom atendimento e oferece um bom café da manhã (variedade de comida japonesa e itens como geleia e croissant, que nem sempre estão presentes nos hotéis japoneses).

Outras boas opções são o 3 estrelas Hotel M’s Plus Shijo Omiya e o maravilhoso 4 estrelas Hotel Gracery Kyoto Sanjo, com quartos amplos para o padrão japonês.

Já para quem estiver em dúvida sobre ficar em hotéis de redes japonesas, também há a opção do Ibis Styles Kyoto Station, mas vale lembrar que os quartos são bem pequenos (como a maioria no Japão).

                                  FAÇA SUA PESQUISA E RESERVE SUA HOSPEDAGEM AQUI

Super Hotel Kyoto: foto divulgação Booking
hotel Kyoto
Super Hotel Kyoto: foto divulgação Booking

O que fazer em Kyoto

Castelo Nijo

Conhecido pelo “piso de rouxinol” e por seu lindo interior ornamentado, o Castelo Nijo é enorme e foi construído pelo Xogum Tokugawa Ieyasu como símbolo de riqueza e poder, a partir de 1603. Ele encomendou as melhores e mais importantes pinturas da Escola kano, famosas por possuírem cenas de pássaros, paisagens e flores em estilo chinês, para ornamentar as salas do castelo.

O mais incrível foi ouvir o som que o chão fazia enquanto passeávamos. As tábuas foram instaladas de forma que cravelhas e pregos encostando uns nos outros fizessem barulho de pássaros suaves.

É uma sensação indescritível andar por um castelo milenar, onde um corredor enorme com chão de madeira reproduz o som de pássaros.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

A entrada só pode ser feita com pantufas, de modo a preservar o chão e melhorar a qualidade do som. E a todo momento é pedido silêncio absoluto para que os turistas ouçam e consigam ter a mesma experiência que se tinha na época. Quanta história em um só lugar!

Após a visitação interna, visitamos os jardins, com pontes, rio, muro alto e portão. Um estilo medieval, mas japonês. Tão incrível…

Funcionamento: diariamente,  das 08:45 às 17:00 (última entrada às 16:00).

Templo de Ouro

Depois do Castelo Nijo, fomos conhecer o Templo de Ouro, também conhecido como Kinkaku-ji ou pavilhão dourado. Esse é o templo mais procurado em Kyoto e recebe milhares de turistas por dia. Assim, caminhar e tirar fotos por lá não é tarefa fácil, sobretudo na época da floração das cerejeiras.

O Templo de Ouro é um templo medieval mandado construir em 1397 pelo Xogum Ashikaga, que fez do pavilhão seu lar e ordenou que, após a sua morte, o local fosse transformado em um templo zen- budista.

A arquitetura, a cor, a paisagem, o lago, tudo é perfeito e está em grande harmonia. Sua estrutura de 3 andares é totalmente folheada a ouro e na parte de cima há uma fênix de bronze.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

É importante frisar que o atual pavilhão dourado é uma réplica do original, destruído em um incêndio criminoso em 1950.

E, como a visitação interna ao templo é proibida, o passeio consiste em apreciar os belos jardins do templo, muitos deles feitos de pedras, e a paisagem no entorno. Ao fundo, o monte Kinugasa e na parte da frente um lago, tornam o local ainda mais belo.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

Funcionamento: diariamente das 9:00 às 17:00.

Floresta de Bambu de Arashiyama

Após a visita ao Templo de Ouro, uma pausa para o almoço antes de irmos para um distrito mais afastado de Kyoto, onde está a floresta de bambus de Arashiyama.

Uma área com uma densa plantação de bambus, ideal para relaxar e esvaziar a mente. No local também encontra-se o Templo Tenryu-ji, que possui um dos mais importantes jardins de Kyoto.

No caminho até chegar ao templo é possível ouvir a sinfonia dos bambus. Suas hastes enormes balançando, batem umas nas outras e reproduzem um som calmante… além da calma, lá também é um ótimo local para quem gosta de tirar fotos.

Esse passeio em Kyoto já faz valer a viagem até o outro lado do mundo. Por sorte ventava bastante, então foi uma experiência inesquecível.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

O local é bem fresquinho (leve casaco mesmo na primavera) e no entorno há vários restaurantes e lojinhas.

Por lá, encontramos algumas gueixas vestidas de quimono. E, claro, aproveitamos para tirar fotos! Aliás, por toda a cidade é comum ver meninas caracterizadas de gueixas ou simplesmente andando de quimono.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

Visitamos Kyoto na primavera mas o inverno também é uma época que atrai muitos turistas devido ao festival das lanternas feitas de bambu! Por conta de tudo isso, o local tem a fama de ser um pouco místico. Não senti o miticismo, mas percebi que é mesmo muito agradável caminhar por lá…

Após o passeio passamos por uma estação do metrô para comprar comida, que são sempre frescas e deliciosas e fomos para o hotel descansar.

As estações de metrô do Japão são muito preparadas para o frio. São verdadeiros shoppings com restaurantes, lojas, banco, supermercado e muita infraestrutura.

Dicas de Kyoto: 2º dia

Templo de Prata

No segundo dia fomos visitar o Pavilhão de Prata, também conhecido como Ginkaku-ji. A primeira constatação é que ele não é de prata(!) e é bem menos imponente que o Templo de Ouro. Em compensação, seus tradicionais jardins Zen são considerados modelos ideais do paisagismo.

Esse Pavilhão é de extrema importância para a cultura japonesa, pois foi neste local que importantes atividades se desenvolveram com refinamento, como a cerimonia do chá, a pintura e a técnica dos arranjos florais, tão famosa no Japão.

Primeiramente, o templo serviu de retiro nas montanhas para o Xogum Yoshimasa que, em homenagem ao avó que revestiu seu Templo de Ouro, decidiu revestir o seu de prata.

Porém, por causa de uma guerra, seus planos foram alterados e então foi construído um templo de madeira, apenas com uma pátina de prata no teto.

É um lindo local para passear e apreciar os jardins, com tanta harmonia.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

Funcionamento: diariamente, das 08:30 às 17:00, de dezembro a meados de março e das 09:00 às 16:30 no restante do ano.

Caminho do Filosofo

Entre o Templo de Prata e o Templo de Heian-jingu fica um dos lugares mais apreciados de Kyoto, o Caminho do Filósofo, batizado com este nome em homenagem ao professor de filosofia da Universidade de Kyoto, Nishida Kitaro (1870 – 1945) que adorava passear por lá.

Andando do Castelo de Prata até lá, leva-se em torno de 15 minutos. E, então, começa um caminho de 2 km bastante calmo, arborizado, florido, cheio de lojinhas e a calmaria do rio. Imperdível!

O canal sinuoso é ladeado de cerejeiras e era um dos lugares mais esperados para vermos as cerejeiras floridas. Visita imperdível e agradável! Neste trajeto repleto de natureza, você encontra lojas de artesanato, restaurantes e cafés, além de templos e santuários.

Kyoto é realmente uma cidade especial e quem vai costuma se apaixonar. Não que as outras não sejam interessantes, mas Kyoto tem o equilíbrio perfeito, sabe?! 😉

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

Templo de Heian-jingu

O templo de Heian-jingu foi erguido em 1895, com o intuito de movimentar a economia, após a capital ser transferida para Tóquio em 1868.

Está entre os mais novos de Kyoto e possui um estilo característico da arquitetura chinesa. O templo é lindo, com um tom vermelho- alaranjado, tem jardins repletos de fontes e arbustos.

É lá onde ficam as famosas step stones, as pedras na água sobre as quais é possível caminhar. O seu lago é famosos pelas flores de íris e pela ponte coberta em estilo chinês.

O templo possui um enorme espaço para visitação e oração.

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer Kyoto Japão onde ficar e o que fazerKyoto Japão onde ficar e o que fazerKyoto Japão onde ficar e o que fazer

Dicas de Kyoto: 3º dia

O terceiro e último dia foi dedicado ao Parque Imperial e seu imenso Palácio!

Até 1868 Kyoto foi a capital imperial do Japão, quando perdeu o status para Tóquio. Mas nunca perdeu o título de capital dos mil anos.

Logo na entrada  do parque você verá o majestoso portal Kenreimon, uma das atrações do Parque. Conhecido por ser o antigo palácio Imperial do Japão, possui uma importância enorme para o país.

Passeamos muito por lá, uma manhã super agradável pelos jardins e, finamente, encontramos as cerejeiras floridas! Lindas árvores repletas de flores tão delicadas que são uma verdadeira febre entre os japoneses.

Todos os anos eles lotam os parques para apreciar este fenômeno. Eles têm o hábito, na hora do almoço, de esticarem toalhas e comerem em grupo, apreciando as flores. É lindo ver a importância que eles dão a esta flor!

O parque é uma imensidão verde encravada no meio da cidade e é possível agendar visitação em inglês às 10:00 e as 14:00 horas, de segunda à sexta-feira.

Ainda tínhamos muitos outros pontos turísticos para conhecer, mas o dia foi atípico, com a chegada de um tufão muito forte.

Isso encurtou o dia e fomos obrigados a passar o dia dentro da estação de metrô que citei. Como tem muita estrutura, almoçamos, fizemos compras em algumas lojas de tecnologia e de decoração, tivemos que esperar o tufão passar, jantamos e voltamos para o hotel.

Então não visitamos a avenida dos portais Torii no santuário de Fushimi, que é uma grande estrutura com portais tradicionais vermelhos.

Por ser uma ilha, o Japão está suscetível a fenômenos naturais como terremotos, tufões e maremotos. Mas apesar disso, as cidades são muito preparadas, com estação subterrâneas.

Culinária em Kyoto

Kyoto se orgulha de sua culinária rebuscada e, ao mesmo tempo, tradicional.

Em nossa viagem todas as refeições foram feitas em restaurantes tradicionais, onde pudemos experimentar a deliciosa culinária japonesa! Para quem planeja visitar o Japão mas não está acostumado com a culinária (ou não gosta) de peixe cru, não se preocupe. Existe uma enorme oferta de alimentos como sopas, macarrão, tempuras (legumes e camarões fritos), carnes, frango e yakisoba, por exemplo.

Se você gostou dessas dicas de Kyoto não deixe de ler também outros posts sobre o Japão. E qualquer dúvida, é só chamar!

TÓQUIO

TAKAYAMA

NAGASAKI

ENOSHIMA, KAMAKURA, MONTE FUJI

Kyoto Japão onde ficar e o que fazer

♥ Beatriz Iglesias é colaboradora do Na Dúvida, Embarque. Ela e o marido viajam o mundo e compartilham suas dicas de viagem.

Categorias: Kyoto

11 de abril de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *