Cataratas: um tesouro na América do Sul

As Cataratas do Iguaçu já receberam os títulos mais importantes que um atrativo turístico poderia receber. A atração foi declarada Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO e, anos depois, foi eleita como uma das 7 Maravilhas Naturais do mundo. Depois de conhecê-las, você vai concordar que elas são um tesouro na América do Sul.

Não à toa, Foz do Iguaçu, cidade que abriga (do lado brasileiro) esse espetáculo da natureza, recebe cada vez mais visitantes e possui uma ótima infra-estrutura turística, com muitos hotéis, restaurantes e novos atrativos se destacando ano a ano. Para saber qual a melhor época do ano para ir leia nosso post sobre Foz do Iguaçu.

Sem dúvida, as cataratas são o principal atrativo do Parque Nacional do Iguaçu, mas muita gente não sabe que, lá dentro, além de apreciar as quedas d’água, há a possibilidade de se hospedar em um resort de luxo ($$$$$), almoçar no deck de um restaurante sobre o rio Iguaçu, e fazer outros passeios como a Trilha das Bananeiras, a Trilha do Poço Preto e o passeio de barco do Macuco Safari, todos pagos à parte.

Então, quer saber como foi nosso passeio para as Cataratas?

Depois de comprar o ingresso, o visitante segue para o ônibus do parque, que percorre lá dentro uma ampla e asfaltada estrada fazendo paradas nas atrações mencionadas até chegar à Trilha das Cataratas. Neste trajeto de 1,2 km é possível admirar várias quedas d’água antes de chegar na passarela e na Garganta do Diabo, a principal queda, com 90 m de altura.

Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu Parana Brasil Na dúvida embarque

Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu Parana Brasil Na dúvida embarque

 Ao longo da trilha há mirantes de observação onde os turistas fazem fila para tirar fotos, mas o ponto alto é, sem dúvida, a longa passarela que se estende sobre o rio, possibilitando que os visitantes cheguem mais perto das Cataratas, se molhem e sintam a força da água. É bom lembrar que, em algumas épocas do ano, quando a vazão é muito grande, o acesso à passarela é fechado por motivo de segurança.

Depois de andar sobre a passarela, suba de levador ao patamar superior para apreciar as cataratas por outro ângulo. Sinceramente, não sei dizer qual o ângulo mais bonito! Ah, e o embaçamento das fotos ocorre por causa do vapor d’água que está por toda parte, e, quanto mais perto das quedas d’água, maior a chance de você se molhar!

A propósito, não esqueça de levar protetor solar e repelente, além de capa de chuva, e uma capinha de telefone celular, pois as cataratas produzem uma leve garoa — e uma chuva (!) — na parte da passarela.

Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu Parana Brasil Na dúvida embarque

Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu Parana Brasil Na dúvida embarque

Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu Parana Brasil Na dúvida embarque

Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu Parana Brasil Na dúvida embarque

Depois de tantas andanças por 2h30 pelo Parque, tirando mil fotos e apreciando as infinitas quedas d’água, é hora de pensar no almoço! Quem não quiser gastar muito dinheiro ou tempo almoçando, pode optar pelas lanchonetes, mas eu preferi (e recomendo muito) almoçar no Restaurante Porto Canoas, com música ao vivo, ambiente interno refrigerado e externo com vista para o rio Iguaçu. O cenário é belíssimo e a comida típica do Brasil excelente. O preço do buffet por pessoa é R$ 58,00, e não inclui bebida, sobremesa e o couvert artístico.

Restaurante Porto Canoas Foz do Iguaçu Na dúvida embarque

Restaurante Porto Canoas Foz do Iguaçu Na dúvida embarque

Restaurante Porto Canoas Foz do Iguaçu Na dúvida embarque

 Depois do almoço fomos nos aventurar no passeio do Macuco Safari. Como disse no post sobre o Macuco, o passeio começa com uma trilha em um carro elétrico, seguida de trilha de 600 m mata adentro, antes de finalmente chegar ao barco para um emocionante passeio que dura em torno de 2h30.

Macuco Safari Fozdo Iguaçu Na dúvida embarque

Passeio de barco Macuco Safari Na dúvida embarque

Além do Macuco Safari há outros programas dentro do Parque Nacional do Iguaçu, como a Trilha das Bananeiras — que oferece 3 tipos de passeio: passeio de bote a remo ou de barco a motor pela parte alta do rio Iguaçu, e trilha de 1,6 km pela mata com passeio de barco ao final — e a Trilha do Poço Preto, uma trilha de 9 km feita com guias, com o objetivo de apreciar a fauna e a flora. O auge deste passeio é a Lagoa do Poço Preto e o passeio de barco até a ilha da Taquara, onde há opção de andar de caiaque. A trilha pode ser feita de 3 formas: a pé, de bicicleta ou de carretinha. Quem pretender fazer todas as atividades deve reservar pelo menos dois dias para o Parque Nacional.

O Parque é uma enorme floresta que abriga diversas espécies de animais, incluindo o jacaré do papo amarelo, o puma e a onça pintada, espécies ameaçadas de extinção. É remota a chance de encontrar com algum destes mas, em compensação, os curiosos quatis estão por toda parte, sempre em busca de comida. Embora aparentemente inofensivos, é preciso ter cuidado com estes animais, pois são transmissores da raiva, e por isso há diversos avisos alertando para não alimentar os animais e para ter cuidado com mordidas e arranhões.

Para completar a experiência, dedique mais um dia ao Parque Nacional do Iguazú (com “z”), no lado argentino das cataratas, que proporciona novos ângulos desse espetáculo natural. É possível ver a outra margem de alguns pontos, como no Restaurante Porto Canoas e no passeio de barco pelo rio Iguaçu. Com certeza vamos conhecer as cataratas de nossos hermanos na próxima viagem.

Pense também em fazer o sobrevoo de helicóptero com a Helisul, que garante uma visão diferenciada e super-exclusiva de uma das maravilhas da natureza. 

O preço do ingresso no Parque Nacional do Iguaçu custa R$ 34,30 para adultos brasileiros (sendo que estrangeiros do MERCOSUL e demais localidades têm preços diferenciados), enquanto o passeio de barco do Macuco Safari, pago à parte, custa R$ 198,00 por pessoa. Apesar de haver um estacionamento na entrada do parque, utilizamos o serviço de transporte da Loumar Turismo.

E pensar que tudo aquilo começou com uma visita de Santos Dumont às cataratas. Admirado com tanta beleza, e inconformado que fossem propriedade particular de um uruguaio, usou de sua influência e prestígio para convencer os políticos da época a desapropriarem as terras e transformá-las em um parque nacional.

Mais um voo daquele visionário, talvez o mais alto em terras brasileiras, para nossa felicidade e de visitantes do mundo inteiro.

Para ler sobre as atrações da cidade, leia os posts abaixo:

Sobrevoo de helicóptero

Hidrelétrica de Itaipu

Wish Resort

Macuco Safari: passeio de barco ao Cânion das Cataratas

0 comments on “Cataratas: um tesouro na América do Sul

    3 Pings/Trackbacks for "Cataratas: um tesouro na América do Sul"

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *