Ubud, a alma da Indonésia

Ubud é considerada por muitos como a alma da Indonésia, e não é difícil entender o porquê. A pequena cidade localizada nas montanhas da ilha de Bali é um dos destinos mais completos e interessantes para visitar. Centro artístico e cultural de Bali, é lá onde você vai encontrar as principais atrações da ilha, como templos, plantações de arroz, danças típicas, boa gastronomia e, claro, a maravilhosa hospitalidade dos balineses, que é um dos maiores encantos da viagem.

Quantos dias ficar e como circular em Ubud

Diante de tanta riqueza, reserve pelo menos 4 dias para Ubud, e comece a viagem por aqui para depois partir às praias e outras ilhas como Komodo, Lombok ou Gili.

Para circular em Ubud, você pode alugar a sua própria moto, usar táxi (melhor opção) ou Uber, o qual tem abrangência (e aceitação) restrita. Pagando US$ 40 ou 50 por dia, você consegue um táxi para rodar o dia inteiro. Aliás, para visitar templos e plantações de arroz, o transporte é essencial, por causa das distâncias.

ubud-bali-indonesia-medium

Sem dúvida, uma das atrações de Ubud é simplesmente andar pelas estreitas ruas da cidade, sem hora e sem compromisso, e se deixar levar pelos encantos que encontramos a cada esquina: o povo sorridente e cordial; as oferendas na porta de cada estabelecimento ou casa (já que a maioria da população da ilha é hindu); o cheiro de incenso, e das plumérias; a arquitetura e as esculturas onipresentes que dão um ar meio sagrado a todos os lugares… Em poucos lugares do mundo, perder-se acaba se tornando um prazer!

ubud-mediumubud-bali-indonesia-1-mediumubud-bali-indonesia-medium

Além de tudo o que as caminhadas podem proporcionar, e da visita aos templos hindus de Bali, vale acrescentar outras atrações igualmente imperdíveis ao roteiro.

Legong Dance

Um dos eventos mais incríveis para quem está em Bali é assistir a uma apresentação da dança típica. Uma experiência exótica e hipnotizante, muito diferente de tudo o que eu já tinha visto. A dança ocorre dentro de teatros ou palácios, e você pode comprar o ingresso na porta, com uma hora de antecedência, para não ter risco de acabarem os ingressos. Nós escolhemos a Legong Dance do Ubud Palace.

legong-dance-ubud-2-medium legong-dance-ubud-1-mediumlegong-dance-ubud-4-mediumlegong-dance-ubud-5-medium

A primeira coisa com a qual temos que nos acostumar é a música, alucinante, tocada com vários instrumentos de sopro e de percussão — com destaque para o gamelan, tocado por vários músicos —, e que, por isso, produzem sons com os quais não estamos acostumados. Só pela música já valeria o show. Iniciada a apresentação da orquestra, entram em cena as dançarinas com seus enormes olhos em movimento e suas mãos dançantes, que caracterizam toda a dança. A gente simplesmente não consegue parar de olhar para elas.

O espetáculo, dançado e muito teatralizado, dura quase duas horas e é dividido em 8 partes, com diferentes personagens e histórias. Para entender melhor, assista ao vídeo da dança.

Ingresso: 100.000,00 Rp

Santuário Sagrado da Floresta dos Macacos

Essa floresta encravada no coração de Ubud é um exemplo da busca pela harmonia e equilíbrio dos balineses. Esse é um local sagrado e possui templos que datam do século XIV e só podem ser visitados pelos locais ou por quem estiver cumprindo as regras hinduístas. Mas além dos templos, a floresta é habitada por muitos macacos.

Aí transparece a filosofia hinduísta Tri Hita Karana, que remete às “três maneiras de atingir o bem-estar físico e espiritual”. Segundo essa filosofia, o bem-estar só pode ser alcançado se nós, seres humanos, tivermos uma boa relação entre nós, com o meio ambiente e com Deus.

ubud-monkey-forest-1-small

ubud-monkey-forest-2-small

Antes de entrar, você deve ler as instruções de segurança do parque: nunca olhar os macacos nos olhos, pois isso é considerado como um desafio para eles; não levar bolsas plásticas e alimentos (porque certamente eles conseguiriam pegar); e ter cuidado com óculos e bonés (eles pegam tudo), e, principalmente, com as crianças.

ubud-monkey-forest-3-small

Existem aproximadamente 600 macacos nessa floresta, e você verá muitos deles subindo em turistas e brigando por comida, mas tudo é bem controlado pelos guias que ficam por todas as áreas do parque. Se você quiser ter a experiência de alimentar os macacos, pode comprar bananas vendidas dentro do parque.

Ingresso: 40.000,00 Rp

Plantação de arroz de Tegalalang

O complexo sistema de irrigação e produção de arroz denominado Subak foi estabelecido há mais de mil anos e é utilizado até hoje. Trata-se de um sistema de irrigação ecologicamente sustentável e que possui bases na mesma filosofia Tri Hita Karana. De tão importante, o sistema Subak foi incluído como parte das paisagens culturais de Bali, e classificado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

tegalalang-rice-terrace-indonesia-2-medium tegalalang-rice-terrace-indonesia-8-medium
tegalalang-rice-terrace-bali-indonesia-medium

A base da alimentação na Indonésia é o arroz (servido desde o café da manhã até o jantar) e é possível ver plantações em todos os lugares. No caminho pelas estradas e em terrenos dentro das cidades há várias plantações, mas nenhuma das que vi é tão bonita como a plantação de Tagalalang.

É possível andar pela plantação e ver de perto o monumental sistema Subak. Para isso, basta comprar ingresso e descer uma escadaria para começar o passeio. Mas se preferir, pode curtir a paisagem em um dos restaurantes.

Para chegar lá, são 30 minutos de táxi a partir de Ubud, sendo também caminho para um dos templos mais importantes de Bali, o Pura Tirta Empul.

Ingresso: 10.000,00 Rp

Luwak Coffee

Que tal uma pausa para um café? Ou melhor, para o café mais caro do mundo! O Luwak é considerado uma verdadeira iguaria, em razão de seu processo de produção um pouco… incomum. Isso porque, na primeira etapa, o pequeno animal que dá nome ao café — e que pertence à mesma família dos famosos suricatos — se alimenta da frutinha vermelha, digerindo apenas sua polpa, enquanto as sementes passam por enzimas capazes de acentuar o aroma e sabor do café, bem como diminuir sua acidez. Assim, depois de eliminados nas fezes, os grãos são lavados até ficarem bem limpos, e daí torrados, socados e peneirados, até resultar num produto realmente único e diferente em muitos sentidos.

luwak-coffee-indonesia-6-mediumluwak-coffee-indonesia-3-mediumluwak-coffee-indonesia-1-mediumluwak-coffee-indonesia-7-medium

Em Bali encontramos muitos cafés e lojas que vendem produtos descritos como Luwak Coffee. Porém, além de não haver muita informação elucidativa nas embalagens, tampouco qualquer selo ou certificado de qualidade, os preços oscilam muito, e comumente encontramos o “café mais caro do mundo” a preço de banana, o que é no mínimo de se suspeitar.

Como não parece haver muitas normas técnicas regulando o produto, soubemos que basta o produtor preparar um blend com um percentual mínimo de Luwak Coffee, agregado a um café “comum”, para que o produto embalado ganhe o título tão desejado e procurado.

O que sugiro é basicamente fugir das marcas muito baratas, procurar as embalagens que indiquem um “pure” Luwak Coffee, e principalmente visitar lugares que desenvolvem esse curioso agronegócio. Um que vale a pena conhecer fica bem ao lado da plantação de Tegalalang, apenas alguns metros à frente.

Ingresso: gratuito, só paga o que consumir

Cachoeira em Tegenungan Village

Essa cachoeira encravada no meio da floresta fica a meia hora de Ubud, de carro, e foi um brinde do nosso motorista, que perguntou se podia parar no caminho para nos levar a uma cachoeira. Com o calor que estava fazendo, aceitamos, claro. Chegando lá, foi uma ótima surpresa: a cachoeira é maravilhosa, há espreguiçadeiras para deitar e o lugar é realmente muito refrescante! Vale a pena incluir no passeio.

cachoeira-ubud-indonesia-medium cachoeira-indonesia-ubud-7-medium cachoeira-indonesia-ubud-2-medium No local há alguns restaurantes com vista para a cachoeira, banheiros e barracas de souvenirs.

Ingresso: 10.00,00 Rp

Compras

Em Ubud (e na Indonésia toda) existem duas formas de fazer compras: em lojas tradicionais, onde os preços são previamente fixados em etiquetas, ou em barracas onde você precisa barganhar o preço diretamente com o vendedor. Procure entrar pela Karna Street, que é uma rua estreita que leva até o mercado e aí já vá sondando os preços.

Confesso que no primeiro dia que fui ao Mercado de Ubud achei estressante barganhar (porque não sabia como fazer), mas nos outros dias peguei o jeito e me diverti tentando conseguir preços melhores. A dica é: não compre no primeiro dia. Primeiro ande, veja tudo o que te interessa, pergunte os preços e deixe para comprar no dia seguinte. Como não barganhamos aqui no Brasil, temos que aprender.

ubud-karna-street-small

ubud-mercado-compras-8-small

ubud-mercado-compras-6-small

Gastronomia

Como em toda viagem, a gastronomia é uma deliciosa atração e, em Ubud, existem ótimos restaurantes para provar a comida da Indonésia, mas também há vários restaurantes de culinária internacional.

É possível comer desde pizza e hambúrguer até os tradicionais e maravilhosos nasi goreng e mie goreng bem apimentados (arroz e macarrão fritos) e bem apresentados. Tudo por um preço justo e até barato, quando comparado a outros destinos internacionais.

ubud-medium mie-goren-ubud-medium

O atendimento nos restaurantes é sempre excelente já que os balineses, assim como todos na indonésia, são de uma cordialidade indescritível. Sempre sorrindo e com boa vontade, nos fazendo sentir em casa. Aliás, se um dia eu voltar à Indonésia, quero incluir Ubud de novo no roteiro.

Ubud é um daqueles lugares capazes de transformar nosso astral e pensamentos. Tem uma energia única e é verdadeiramente ideal para Comer, Rezar e Amar! 😉

Se você ainda não conhece a Indonésia, não deixe de considerar uma visita aos dragões de Komodo, às maravilhosas praias Pink Beach, Padar e Kanawa e aos belos Templos Hindus de Bali.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *