Valle de la Luna e Valle de la Muerte – Deserto do Atacama

Se a primeira impressão é a que fica, então eu não poderia ter começado melhor os passeios pelo Deserto do Atacama: Valle de la Luna e Valle de la Muerte. Lugares tão diferentes que remetem à uma viagem a outro mundo! E pode ter certeza de que você não encontrará lugares tão pitorescos como estes, onde o barro, o sal e o gesso são os protagonistas e produzem efeitos visuais incríveis.

Localizado há menos de 15 km de San Pedro de Atacama, o Valle de la Luna é um dos passeios com menor altitude (2.487 metros), então peça na agência para esse ser o primeiro, assim você vai se acostumando com a altitude.

Aqui neste GUIA COMPLETO você encontra todas as informações sobre a Viagem ao Deserto do Atacama.

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Luna

O Valle de la Luna faz parte da Cordilheira de Sal, formada há 25 milhões de anos. Acredite  ou não — é difícil mesmo imaginar o mar passava por este lugar e com o movimento das placas tectônicas e da atividade vulcânica, rochas verticais surgiram intercaladas com camadas de sal, gesso, argila e outros minerais, formando algo parecido com o que vemos hoje.

Esse tour guiado sai da agência na parte da tarde (as 15:30 h), passa pela Pedra do Coyote, pelas Cavernas de Sal, pelo Centro do Valle de la Luna, pelo Anfiteatro e pelas Três Marias e termina com o pôr-do-sol no Valle de la Muerte, com lanche e brinde com vinho chileno para agradecer pelo dia maravilhoso.

A primeira parada é no mirante da Pedra do Coyote para observar o Valle. Do alto, o chão avermelhado de barro coberto por uma espessa camada de sal branco, dá um efeito visual incrível ao lugar. Parece neve, mas é sal mesmo.

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Os milhões de anos do Valle de la Luna

Uma das primeiras informações que o guia passa é sobre a formação das Cordilheiras que definem a configuração do Atacama: a Cordilheira do Sal, onde está o Valle de la Luna foi a primeira, depois veio a Cordilheira de Domeyco e, por fim, a Cordilheira dos Andes, que corta o Chile de Norte a Sul.

É muito interessante ouvir o guia explicando sobre a formação do Atacama. Uma aula de geologia a céu aberto! E que céu…

Acho que nosso cérebro está tão formato a só “ver” sal no mar que, várias vezes, me peguei pensando sobre esses milhões de anos que foram necessários para essa transformação….

Depois de alguma filosofia, seguimos de van até a entrada do Parque, onde pagamos a entrada de CLP 3.000. Esse é um dos passeios com maior grau de aventura, que exige atenção aos movimentos para escalar algumas rochas e paciência para entrar em um lugar escuro e apertado.

São as cavernas de sal, uma enorme formação de sal por onde andamos agachados (em alguns trechos) e vemos de perto a composição das rochas, além de passarmos por cânions onde um dia passaram rios.

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Quem tem claustrofobia ou não gosta de aventura pode ficar um pouco angustiado, mas é tranquilo concluir o passeio. E, convenhamos, a paisagem é tão linda que compensa qualquer esforço físico. De toda forma, não é obrigatório fazer essa travessia, sendo possível esperar o grupo do lado de fora.

Também passamos pelo Anfiteatro, que lembra uma arena romana e pelas Três Marias, que lembram mulheres rezando. Foram batizadas assim pelo jeusuíta Gustave Le Paige, que visitou o deserto. Dizem que uma dessas pedras foi quebrada por um turista que tentou subir para tirar fotos.

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Luna Deserto do Atacama

Valle de la Muerte

Seguimos para o Valle de la Muerte, localizado a apenas 4 km de San Pedro de Atacama, onde observamos o pôr-do-sol, com lanche e brinde ao dia maravilhoso!

Este Vale tem dois nomes oficiais: Valle de la Muerte e Valle de Marte. Gustave Le Paige, o padre belga, batizou de Vale de Marte, mas a pronuncia em francês foi confundida com muerte.

A verdade é que os dois nomes combinam bem com o lugar: seja por causa da cor avermelhada do vale, que faz lembrar o planeta vermelho, ou por causa da aridez que não permite que a vida aconteça por ali.

Enquanto o sol vai descendo as cores do céu, do vale e das montanhas vão se transformando rapidamente, passando do vermelho pro laranja, rosa, roxo, azul… É até difícil descrever com exatidão as cores que vemos, mas posso garantir que é um pôr-do-sol inesquecível.

Nessa hora, admirando essa imensidão chamada Atacama a gente se sente tão pequeno diante da natureza…

Valle de la Muerte Deserto do Atacama

Valle de la Muerte Deserto do Atacama

Valle de la Muerte Deserto do Atacama

Mais passeios no Deserto do Atacama

LAGUNA CEJAR

SALAR DE TARA

GEISERS DEL TATIO

PIEDRAS ROJAS E LAGUNAS ALTIPLANICAS

Outras dicas e informações

No Valle de la Muerte também se pratica sandboard! E no Valle de la Luna é um bom lugar para andar de bicicleta. Mas não é para amadores, tem que ter bastante resistência para pedalar nessa altitude.

É para quem curte aventura mesmo. Aliás, falando em aventura em altitudes elevadas, é bom fazer um SEGURO VIAGEM. Não esqueça de fazer o seu!

Se estiver indo ao Deserto do Atacama confira um GUIA COMPLETO com todas as informações necessárias para sua viagem. Dicas e informações de quando ir, onde ficar hospedado, quais passeios fazer, o que levar na mala, e quanto custa a viagem.

O Valle de la Luna está a 2.487 metros de altitude. O passeio sai da agência às 15:30h e volta as 20:00h.

Valor do tour com a agência Ayllu Atacama: CLP 50.000

Valor da entrada no parque: CLP 4.000

Não esqueça de levar: protetor solar, óculos de sol, água, calça comprida e casaco corta vento.

Aclimatação: fiquei 24 horas em San Pedro de Atacama me aclimatando à altitude, antes de começar os passeios. Mesmo assim, quando realizei o primeiro passeio ainda estava sentindo dor de cabeça, cansaço e um leve enjoo. Claro que cada organismo é um, mas procure descansar bastante e se dê um dia para não fazer nada. Procure não consumir bebida alcoólica ou comer muito na noite anterior aos passeios.

* O blog Na Dúvida, Embarque teve apoio da agência Ayllu Atacama e expressa aqui a verdadeira experiência vivida durante a viagem ao Deserto do Atacama, em abril de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *