O que fazer em Nagasaki e onde ficar hospedado

Cidade costeira ao sul do Japão, Nagasaki possui um dos principais portos do país, com uma forte indústria estaleira. Também é conhecida pela influência europeia e por ter sido alvo da bomba atômica durante a 2ª Guerra mundial, em 9 de agosto de 1945. Nesse post sobre o que fazer em Nagasaki, você vai passear pelos principais pontos turísticos da cidade que representa a superação e o desejo de paz mundial.

Nagasaki era uma pequena vila de pescadores até ser colonizada por portugueses, em 1570. Durante 70 anos os portugueses abriram o comércio de Nagasaki para outros povos, como ingleses, holandeses e chineses, mas acabaram expulsos tempos depois.

Claro que não sem antes introduzir o catolicismo no país. Aliás, algumas igrejas católicas dessa época estão concorrendo ao título de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Outra curiosidade é que em razão da colonização portuguesa os japoneses teriam adquirido o hábito de falar a expressão “né” no final das frases. Mas parece que o uso da expressão é uma mera coincidência.

O que fazer em Nagasaki

Nagasaki é uma cidade bem eclética, onde há de tudo um pouco: antigas construções europeias se mesclam há séculos de tradição japonesa e, ao mesmo tempo, à modernidade de shoppings, estações de trem e metrô.

Em Nagasaki há bastante sinalização em inglês, o que ajuda muito os turistas (nem todas as cidades do Japão são assim).

Antes de falar sobre as atrações turísticas de Nagasaki vamos ver como chegar e onde ficar hospedado em Nagasaki.

Como chegar a Nagasaki

Localizada no sudoeste do Japão, é preciso considerar o longo tempo de deslocamento até lá enquanto montar o roteiro.

Sem dúvida, a melhor forma de circular pelo Japão é de trem mas, se preferir, também é possível utilizar o aeroporto de Nagasaki, que fica há 45 minutos do Centro.

Saindo de Hiroshima o trajeto no trem- bala Shinkansen leva 3: 40h. A partir de Kyoto o trajeto leva 5:40, também no trem- bala.

Por ser uma viagem longa é oferecido serviço de bordo e opções de bantôs, as tradicionais marmitas japonesas. Almoçamos no trem, apreciando a bela paisagem.

Onde ficar hospedado em Nagasaki

Ficamos hospedados no Toyoko Inn Nagasaki, um hotel bem central e de ótima qualidade (3 estrelas).

Mas como o Toyoko Inn não está disponível para reservas no Booking, separei outras recomendações de hotéis na mesma categoria e mais próximos da estação de trem e do shopping:

JR Kyushu Hotel Nagasaki

APA Hotel Nagasaki Ekimae

Hotel Cuore Nagasaki Ekimae.

o que fazer em Nagasaki
Hotel JR Kyushu Foto divulgação: Booking.com

O que fazer em Nagasaki no 1º dia

Praça da Paz

Começamos o passeio pela Praça da Paz. Uma experiência enriquecedora e muito emocionante. A praça é conhecida por ser o epicentro da explosão da 2ª bomba atômica.

A praça possui uma estátua simbolizando o desejo de paz mundial, placas em homenagem as vítimas, um grande espaço de apreciação e caminhada e um local onde milhares de tsurus, enviados por pessoas de todo o mundo, são pendurados.

Parque da Paz: dica d o que fazer em Nagasaki

O tsuru é a ave sagrada japonesa; então reza a lenda que a pessoa que dobrar 1.000 tsurus de origami terá seu pedido realizado.

Nagasaki foi estrategicamente escolhida como alvo por dois motivos principais. Primeiro porque era uma cidade costeira que concentrava uma das principais atividades econômicas do Japão na época, os estaleiros. Além disso, por ficar em um vale, a bomba ganharia ainda mais impacto atômico. 🙁

Outro fato que chama muito a atenção na praça é a quantidade de garrafas de água deixadas diariamente em homenagem as vítimas que, por conta dos efeitos da bomba, morreram de sede ou envenenadas nas águas radioativas dos rios.

Colocar tsurus em homenagem às vitimas é uma dica sobre o que fazer em Nagasaki

Museu da Bomba Atômica

Bem pertinho da praça está localizado o Museu da Bomba Atômica. Muito impressionante e comovente pensar que a bomba matou instantaneamente 75.000 pessoas e deixou outras 80.000 feridas, mudando para sempre o curso de suas histórias.

No museu, é possível assistir vídeos sobre a guerra, ler depoimentos, ver fotos, ver até um exemplar da bomba e deixar recados de paz para a posteridade.

Um relógio original, parado no exato momento em que a bomba explodiu, é um dos itens mais emocionantes do local. O museu é lindo, calmo, silencioso e possui um espaço para meditação. Visita obrigatória para quem procura o que fazer em Nagasaki!

Entre a Praça da Paz e o Museu da Bomba você passará pela Ponte dos Óculos, uma das atrações mais fotografadas da cidade, legado chinês deixado pelo monge zen Mozi, em 1634. Essa é a ponte de pedra mais antiga do Japão.

Uma pausa para o almoço no tradicional restaurante Yossou onde experimentamos o macarrão gelado japonês (Champon). Enquanto espera a sopinha deliciosa observe a arquitetura do local, construído com madeira e tatame.

Como choveu à tarde, fomos conhecer a estação de metrô, que é atração turística, pois tem um shopping integrado com lojas para fazer compras e locais que vendem comida para levar.

Não esqueça de ler essas dicas também:

TÓQUIO

TAKAYAMA

ENOSHIMA, KAMAKURA, MONTE FUJI

O que fazer em Nagasaki no 2º dia

Como ficamos só 1 dia e meio em Nagasaki o 2º dia foi mais enxuto.

Primeiro fomos ao Santuário dos 26 mártires que lutaram pelo catolicismo no país e morreram crucificados por ordem do Xogum. Em 1862 esses homens foram declarados Santos pelo Papa e, mesmo assim o cristianismo permaneceu por 200 anos no país.

Visitamos o Museu e Memorial. Nessa praça havia cerejeiras bem floridas. Por sorte, no sul, o tempo estava mais ameno e as temperaturas subiram um pouco.

Depois seguimos para o Parque Glover. O parque fica no alto de uma colina com vista para o mar e para o porto de Nagasaki. A casa Glover foi construída em 1863 e possui um estilo europeu, com elementos japoneses incorporados, sendo a principal atração do parque. No parque também é possível visitar outras casas de estilo europeu, lagos e jardins.

A história de Glover teria inspirado a ópera Madame Butterfly. O enredo se assemelha à vida do escocês casado com uma japonesa de Nagasaki.

Thomas Glover foi uma figura importante no Japão, tendo sido responsável pela primeira locomotiva a vapor do país, mineração de carvão, importação de chá e criação de uma fábrica de cerveja.

Por fim, passeamos pelo bairro Chinatown. Achei bem diferente de outras ChinaTown que conhecemos em Nova York, Los Angeles e São Francisco. É muito mais limpo e organizado e tem muitas lojas de comida chinesa.

Outras atrações em Nagasaki

Pontos turísticos que não visitamos por falta de tempo:

a Huis Tem Bosch, uma reprodução de uma vila Holandesa tradicional conhecida como o maior parque temático do Japão com réplicas de moinhos, casas, lojas, lagos, igrejas, canais e até um castelo;

o templo budista e o templo em homenagem ao filósofo Confúcio;

a ilha de Dejima, onde os portugueses ficaram confinados antes de serem expulsos;

o Monte Inasayama, onde há um observatório com a melhor vista de Nagasaki, especialmente à noite. Para chegar lá há um teleférico.

E então, se animou em conhecer mais sobre o Japão depois das dicas sobre o que fazer em Nagasaki ?

♥ Beatriz Iglesias é colaboradora do Na Dúvida, Embarque. Ela e o marido Leonardo viajam pelo mundo e compartilham suas dicas de viagem aqui.

♥ A visita à Nagasaki teve um significado especial porque a família do Leo é originária da cidade. Sua avó, Teruko Ishibashi, é uma das sobreviventes da bomba e deixou seu registro das lembranças do dia 09 de agosto de 45 no Museu da Bomba Atômica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *