Veneza: a cidade dos apaixonados

Não, você não precisa estar acompanhado para ir a Veneza mas se estiver, tanto melhor! De qualquer forma você provavelmente irá se apaixonar por Veneza…

A chegada em Veneza pela estação de Trem Santa Lucia foi algo espetacular. Diante de mim uma cidade sem ruas, sem carros, feita de água. Sim, na maior parte da cidade, não há asfalto ou carros: há canais por onde circulam barcos, lanchas, gôndolas e os famosos vaporettos. Os canais fazem a cidade acontecer e tornam tudo um charme!

chegada Veneza estação de trem Santa Lucia

Ainda assim, existe a possibilidade de chegar em Veneza de carro ou ônibus, mas nada como essa incrível primeira sensação!

Circulando em Veneza

Para sair da estação de trem e chegar ao hotel pegue o vaporetto que te deixará no ponto mais próximo. Eles são como ônibus, tem número de linha, horário para passar… fique atento para não errar.

Com exceção de uma ou outra vez que será necessário utilizar o vaporetto, definitivamente a descoberta desta cidade deve ser feita a pé, se perdendo por todas aquelas vielas e pontes, sem hora para voltar. Ande devagar admirando os pequenos detalhes, as flores e roupas na janela, os barcos e gôndolas nos canais, as várias lojinhas de souvenirs que te fazem querer trazer tudo, desde máscaras de carnaval até jarras de vidro produzidas em Murano.

Veneza_ Itália_Na dúvida embarque (Small)

O que fazer em Veneza – principais atrações turísticas

Durante uma de suas muitas caminhadas pela cidade você chegará à Ponte Rialto, a mais antiga sobre o Grand Canale; cruzando a ponte ocorre uma feira onde é possível ver e comprar de tudo: desde produtos frescos como queijos, verduras e peixes até as famosas lembrancinhas de vidro e todo tipo de souvenir.

ponte rialto grand canale veneza

O tradicional passeio de gôndola também não pode faltar, mas fique atento ao preço pois pode variar de um gondoleiro para outro e de acordo com o horário e a época do ano. Aliás, também varia a mise-en-scène: uns cantam, outros explicam sobre os pontos turísticos ou conversam e outros apenas conduzem a gôndola… Quando fui a Veneza estava custando 100 euros por quarenta minutos e achei caro demais. Depois, claro, me arrependi!

Veneza fica ainda mais bonita no verão pois os dias de sol deixam as águas dos canais mais claras e o clima de alegria e descontração tomam conta da Piazza San Marco, o principal ponto turístico da cidade. Nela estão localizados a Basílica San Marco, o Palazzo Ducale e a torre do Campanário, além de lojas e restaurantes com música ao vivo.

Praça São Marco, Veneza, Itália, Na dúvida embarque (Small)

Na Piazza essas atrações são imperdíveis: o Palazzo Ducale, com suas arcadas em estilo gótico, já foi a residência oficial de duques, a sede de governo e prisão, tendo sido reconstruído no séc. XIV após um incêndio. Existe uma ponte que conecta o Palazzo à antiga prisão, a Ponte dos Suspiros, por onde, dizem, que antes de morrerem os condenados passavam e olhavam o mar pela última vez, razão pela qual suspiravam. A visita a esse museu é imperdível dada sua beleza e importância histórica.

Palazzo Ducale_Veneza_Na dúvida embarque (Small)

Outra dica é a subida ao alto do Campanário pois de lá se tem uma vista inigualável de Veneza e você entenderá ainda melhor o que a torna tão única. Do alto, você perceberá claramente a ausência de ruas e as diversas vias feitas na água para guiar os condutores dos barcos.

vista do campanário_ Veneza, Itália_Na dúvida embarque (Small)

praça São Marco vista do Campanário_ Veneza_Na dúvida embarque (Small)

Ainda na Praça São Marcos vale a visita à Basílica cuja construção em estilo bizantino teve início no séc. IX, para guardar o corpo de San Marco e vale apreciar a Torre do Relógio, uma jóia que além do sino e do relógio astronômico traz a figura do leão alado, símbolo de Veneza, e do anjo Gabriel.

torre do relógio_ Veneza_ Na dúvida embarque (Small)

Um aspecto interessante que chamou a atenção é em relação ao perceptível aumento do nível das águas do mar; você poderá constatar que as escadas que antes eram usadas para o embarque e desembarque de pessoas e produtos estão afundadas, encobertas pela água, e já não têm mais utilidade.

Assim como alguns prédios cujo primeiro andar já não são mais habitados pois o aumento das águas impossibilita a ocupação. Da mesma forma, ao caminhar pela orla da ilha principal você verá que o mar bate e invade um pouco a calçada, mas nada que atrapalhe o passeio. Daí se explica a construção de um enorme dique para tentar salvar a cidade das inundações que já chegaram a um metro de altura.

Hospedagem em Veneza

Existem muitas e diferentes opções de hospedagem pela ilha e os preços costumam ser altos, mesmo quando os hotéis são antigos. Para sentir ao máximo o clima da cidade o ideal é ficar próximo à Piazza San Marco, mas nesse caso, os preços são mais elevados, com diárias que variam de R$800,00 a mais de R$ 1.200,00. Para casais em lua de me vale investir em hotéis como o Bellevue & Canaletto ou o Splendid Venice.

Se esses hotéis não cabem no seu orçamento e você faz o estilo mochileiro, o Ostello Venezia, que fica na ilha Giudecca é uma opção. Além do preço incomparável, tem uma linda vista de Veneza e o privilégio de você poder caminhar pela ilha e se deparar com janelas cheias roupas no varal, no verdadeiro estilo italiano!

albergue Veneza_Na dúvida embarque (Small)

Se tiver tempo recomendo ainda o bate-volta até Murano, uma ilha a 30 minutos da Piazza San Marco, onde existem fábricas de produção de vidro (dá pra assistir a fabricação ao vivo) e o interessante Museu do Vidro, que conta a história deste material e as diversas técnicas utilizadas para seu fabrico até hoje.

Se estiver na dúvida se vai ou não à Veneza, embarque! Garanto que você não vai se arrepender e trará, além de fotos incríveis, muitas peças lindas de Murano. 😉

0 comments on “Veneza: a cidade dos apaixonados

    3 Pings/Trackbacks for "Veneza: a cidade dos apaixonados"

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *